Anunciado em dezembro do ano passado, o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) na versão digital, que é o documento dos veículos, começou a ser disponibilizado para os motoristas nesta segunda-feira (27), no Distrito Federal.
A tecnologia será adotada pelo Departamento de Trânsito (Detran) de cada estado gradualmente. A determinação é de que todo o país ofereça o recurso até o fim de 2018.
O site do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) manterá uma lista com os estados que já aderiram.
Ainda segundo o governo, cada Detran é encarregado de determinar a cobrança ou não de taxa adicional pelo CRLV digital. De acordo com Minsitério das Cidades, o documento não terá custos no Distrito Federal. Mas só poderá obtê-lo quem já tiver pago o licenciamento de 2018.
O documento eletrônico de veículos tem o mesmo valor legal do CRLV impresso, que continua sendo de emissão obrigatória.
Documento digital de veículos começa a valer no Distrito Federal (Foto: Ministério das Cidades/Divulgação)

Documento digital de veículos começa a valer no Distrito Federal (Foto: Ministério das Cidades/Divulgação)
“Fazemos um apelos aos Detrans de todas as outras 26 unidades da federação, para que tenham esse meio eletrônico nos seus sistemas informatizados de trânsito”, disse o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, no evento de lançamento do projeto.

Aplicativo

O documento ficará disponível no aplicativo “Carteira Digital de Trânsito”, que também passará a abrigar a CNH digital. Por enquanto, o app só pode ser baixado em aparelhos Android. A expectativa é de que seja disponibilizada no sistema iOS até o fim desta segunda.
Quem já tem o aplicativo da CNH Digital não precisa baixar o novo. Basta atualizá-lo, e a migração será feita automaticamente.

Integração com a CNH digital

Na plataforma, também será possível acessar a carteira de habilitação digital (CNH-e) e o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestres (DPVAT).
“Com isso, diminuímos o tempo nas filas e ganhamos tempo com coisas que são efetivamente importantes”, disse a diretora-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Glória Guimarães.
A diretora-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Glória Guimarães, durante o lançamento do CRLV digital (Foto: Luiza Garonce/G1)

Quem pode ter

De acordo com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o CRLVe só será expedido após a quitação dos débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais vinculados ao veículo, bem como o pagamento do DPVAT.
Assim como a CNH digital, o CRLVe contém todas as informações do documento impresso e um “QR code” para leitura rápida e informatizada. A nova versão também permite exportação em arquivo PDF, com assinatura digital — que tem validade de documento autenticado.
De acordo com o Código de Trânsito, o motorista que for parado sem o documento -impresso ou digital- comete infração gravíssima e pode receber multa de R$ 293,47, 7 pontos na carteira, além de ter o veículo removido.
Quem está com a documentação em dia, mas ainda não recebeu o CRLV pode pegar uma autorização no site do Detran para rodar com o veículo por até 60 dias.

CNH digital

A CNH-e está disponível para os motoristas do Brasil desde abrilúltimo. Quem ainda não tem o documento com o código pode solicitar a emissão da segunda via pelo site do Detran ou presencialmente.
Ao receber o documento, basta acessar o aplicativo de celular e escanear o QR code. Depois disso, não é mais necessário apresentar a versão impressa. Antes de usar o app, é preciso atualizar os dados na página do órgão ou pelo telefone 154.
A decisão de cobrança pela CNH digital cabe a cada estado. Um levantamento feito pelo G1 em maio mostrou que ela é gratuita na maioria dos estados.

Fonte: https://g1.globo.com